segunda-feira

O Natal será sempre especial!




Não há época do ano em que eu sinta mais saudade da minha avó Júlia. Ela passava o ano inteiro planejando essa data... Era incrível ver o brilho nos olhos (lindos olhos verdes) e o sorriso no rosto que representavam o quanto significava ver a família reunida, em harmonia... Ela era o nó, o afeto, o elo, o laço, o gosto gostoso do abraço... Fazia-nos ver o quanto era importante que cada membro da família fosse amparo um do outro...Todos os anos a festa que nos contagiava, a reunião dos primos, a revelação do amigo secreto, as comidas e sobremesas deliciosas, subir no pé de acerola, buscar bloquinhos na tipografia com o Tio Mário, ir na sorveteria, brincar de adedonha (STOP!), ensaiar teatros e músicas, competições, ler as revistas de fofocas do Tio Cléos, visitar a Tia Nilce, ver a cidade acontecendo pela sacada, subir e descer aquelas escadas que davam para o lugar mais divertido que existia...Unaí-MG faz parte da história dos nossos dezembros mais felizes...Não esqueço da minha avó, sem muito dinheiro, arrumar um jeito de dar uma lembrancinha com o maior carinho para cada neto; de como ela sorria o tempo todo, apesar das adversidades; de como ela nunca esquecia o aniversário de ninguém da família, de como ela nos fazia sentir especiais, do seu jeito engraçado de gostar de imitar poses de fotos de artistas...




Dizem que os avós estragam os netos...Gostaria que a minha avó estivesse comigo neste Natal, gostaria que ela tivesse tido mais tempo para “estragar” os netos...
Na minha caixa de lembranças encontrei cartas da minha avó...Transcrevo adiante alguns trechos.
Em 19/04/1999, ela mandou esta carta:
“Mui querida Carolina,
Quanta saudade!Foi com muita alegria que recebi sua cartinha!Parabéns, você tem uma caligrafia muito bonita!Desejo que tudo esteja bem com você!Nos estudos, no amor...
Aproveite sua beleza e arranje um namorado, mas de longe e sonhe à vontade! É a melhor época da vida, onde não é proibido sonhar! A primeira coisa é ver se a pessoa tem caráter, o resto são atributos secundários!
Gostei de ver que você está ajudando a sua mãe. Você precisa mesmo ajudá-la, pois ela trabalha fora, não tem empregada. E é bom para você aprender e ainda receber as bênçãos de Deus! Você ser boa para sua mãe é bom pra você mesma, para que tudo te vá bem...
Um beijo no seu coração!Te amo muito! Júlia”
Em 03/10/00, esta outra:
“Querida Carolina,
Desejo que tudo esteja em ordem com você!E o coração?Anda a mil?Nesta idade ele palpita mesmo!Dá até taquicardia!Estou escrevendo para te agradecer pelo porta-retrato e a foto!Achei lindo!Obrigada mesmo!Coloquei aqui na sala!Ficou lindo!
Estou te mandando esta sua foto do nosso Natal como recordação!Como sempre você ficou linda! Eu senti muita falta de vocês por ocasião do meu aniversário!Eu estava sempre lembrando de vocês, mas eu compreendo!
Aqui vou terminando com um super beijo de quem muito te ama! Júlia”





Não posso conter as lágrimas e os risos diante das palavras escritas há tantos anos atrás... Ela não estragava os netos, só dava bons conselhos, carinho, amor... Arrumar um namorado de longe foi algo engraçado, mas talvez hoje, relendo a carta, eu entenda melhor o que ela quis dizer com isso...rs Minha avó, com toda a sua simplicidade e autenticidade, sabia o quanto o amor era importante! Sabia que o caráter é algo a ser valorizado em uma pessoa... Acho que ainda posso sonhar e ajudar a minha mãe... Mas não posso mais passar o Natal com a minha avó! Sinto tanta saudade...




 Não sinto tristeza, tenho certeza de que ela está feliz, ao lado do amor. E ela sabia que nós podemos amar porque ELE nos amou primeiro, o verdadeiro sentido do Natal...
Comemorar o Natal com a família é um dos melhores privilégios que podemos ter, mas esquecer que o Natal é a lembrança do nascimento de Cristo é como festejar o aniversário de alguém sem a presença do aniversariante... Ele nos deu mais este ano de histórias, Ele nos deu o nosso maior presente: A VIDA!!!
“Aquele que não ama, não conhece a Deus, pois Deus é amor. Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho Unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele. No amor não existe medo, antes o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. Nós amamos porque Ele nos amou primeiro.” (I João 4: 7-19)


Obs: Na primeira foto eu tinha 01 ano, foi o meu primeiro Natal com a minha avó...


(CAROL MINEIRINHA)

4 comentários:

  1. Lindas lembranças Carol... me fez lembrar de minhas histórias tbm... faço das suas as minhas palavras, e msm não estando tbm com minha vó ao meu lado agora lembro-me de todos os bons momentos que estivemos juntas e são esses momentos que sempre ficarão na memória. Que o verdadeiro sentido do Natal possa nascer e renascer no coração de cada pessoa nesse e em todos os outros Natais. bjos amiga!

    ResponderExcluir
  2. Me identifiquei muito com seu post, principalmente por agora passar o primeiro natal sem minha vó, a última dos 4 e a que eu tive mais contato. Dá um aperto, mas gratidão a Deus, afinal, Ele é o dono da festa!

    ResponderExcluir
  3. Entrou um cisco no meu olho aqui... Não, confesso! Me fez lacrimejar... Texto lindo!

    ResponderExcluir
  4. Muito lindo o texto!

    ResponderExcluir