sábado

Vida e poesia



Me encantei no primário,
Paixão à primeira escrita,
Cresci no universo literário,
Presente, bela, come la vita!

Comecei no diário,
Gastei as folhas do caderno,
Hoje os meus poemas, 

Tem gosto de eterno...

A poesia me anima, me acalma, supre como um alimento!
O poema, como o vento, suave ou forte, traz meu acalento,
Quando penso em parar de escrever, logo deixo o intento,
Porque quando os amores não existem, eu invento,
E quando a alegria ameaça ir embora, eu a reinvento!!!


(CAROL MINEIRINHA)

sexta-feira

Dia de protesto



Um dia para entrar para a história...
Um dia para guardar na memória...
Um dia...como uma noite de glória!

O verde e o amarelo se misturam
Em meio à multidão
Com cartazes, faixas e gritos,
Pedem o fim da corrupção...

Aquele povo outrora adormecido
Agora são os revolucionários, os manifestantes,
Aquele povo distraído, esquecido
Lembra dos sonhos, mofados nas estantes.

E vestidos de branco
Caminham pela Avenida Goiás...
Carregam rosas brancas,
Como um pedido pela paz...

Contra as propostas de emenda constitucional,
Vão clamando pela Avenida Anhanguera,
Educação e transporte para todos
Proteção à saúde...Não passam de quimera...


Muito mais do que centavos
Lutam por uma nação
Os que antes eram escravos
Agora aprenderam a dizer NÃO!”

(CAROL MINEIRINHA)

quarta-feira

SAUDADE TEM GOSTO DE SAL





Saudade deveria ser SALDADE, minh’alma canta...
Porque dá sabor ao amor, tempera a vida...
Mas em excesso, desce rasgando a garganta...

Sinto o gosto da lágrima...
Desce suave pelo rosto...
Até chegar à minha boca...
E a tristeza vai tomando seu posto!

É um gosto de sal...
Tem gosto de mar...
Tem gosto de amar...

(CAROL MINEIRINHA)

domingo

ANA GRAMA


SENTADA NA GRAMA
TENTANDO ESCREVER UM ANAGRAMA
EU, ANA, NA GRAMA
ANAGRAMA EM PESSOA
MISTURANDO AS IDEIAS
FORMANDO OUTRA ANA
DO GREGO VOLTAR
SÓ, SENTINDO O AR,
SÓ SENTINDO A LEVEZA...
SAÍ DA GRAMA, COMECEI A VOAR...
COMO SE PESASSE UMA GRAMA,
POETIZANDO COMO CORALINA
COLORINDO A VIDA COMO CAROLINA
REALIDADE DE QUEM AMA...

VOLTANDO AO ANAGRAMA:
DO GREGO ANA, VOLTANDO A VER
AHH...NÃO, DESISTO DO ANAGRAMA,
NÃO DOMAREI MEU SER TENTANDO ESCREVER
DO GREGO ANA, 
DO VERBO REPETIR,
DO GREGO GAMA, 
GAMA DE PALAVRAS, DE SENTIMENTOS,
TENTAREI À TENTATIVA VOLVER...
DO LATIM VOLVERE, RETOMANDO A DIREÇÃO,
O ANAGRAMA CRESCEU...COMO A GRAMA...
E O POEMA QUASE VIROU CANÇÃO...
RAINHA ANA VIROU AMA...

DESISTO DO ANAGRAMA!
DO PORTUGUÊS COMPLICADO, DO GREGO ANA
QUEM SABE ALCANÇO O INTENTO,
TENTANDO A POESIA GREGORIANA!

(CAROL MINEIRINHA)




sábado

BRINCAR DE SER



O QUE EU QUERO SER
QUANDO CRESCER?
EU SÓ QUERO SER,
SE FOR PRA SER SUA,
SE FOR PARA MINHA VIDA,
SE CONFUNDIR NA TUA,
NESSA CONFUSÃO QUE É VIVER,
SÓ QUERO SER GRANDE,
SE FOR PRA BRINCAR DE CORRER,
SE FOR PARA CORRER PRO TEU COLO,
E ESPERAR O DIA AMANHECER...

(CAROL MINEIRINHA)


quinta-feira

CORAÇÃO SEM CHAVE




QUERIA FECHAR MEU CORAÇÃO,
COMO SE FECHA A CAMISA
COM A CASA E 

O BOTÃO...


MAS ELE É TEIMOSO...

E INSISTE EM COLOCAR                

NO SÓTÃO


O QUE JÁ MANDEI PARA 




O PORÃO...


SÓ, TÃO RETICENTE...

SAUDADE VEM, SENTIMENTO LATENTE...

LÁ, TENTO, EM ALGUM LUGAR ENCHER O PEDAÇO

FAZER O NÓ VIRAR LAÇO...
À PROCURA DE ESPAÇO ME EMBARAÇO,

(COMO CECÍLIA MEIRELES

NA CANÇÃO)

E MINH'ALMA DORMENTE,

CARENTE DO AMOR QUE NÃO SE VÊ, 
MAS QUE SE SENTE...

QUE SENTA AO MEU LADO

PARA FALAR DE...PARA FAZER POESIA,
QUE TRAZ ALEGRIA E PREENCHE A MENTE...

QUE ME INSPIRA NA NOITE FRIA...

E ME INCENTIVA A DESFRUTAR O DIA...

(CAROL MINEIRINHA)







CORRESPONDÊNCIA



NÃO FOI COINCIDÊNCIA
A TUA CORRESPONDÊNCIA
CHEGAR NA MINHA RESIDÊNCIA...

O NOME DISSO É AMOR CORRESPONDIDO!


(CAROL MINEIRINHA)

MEIAS





MEIAS verdades 
São mentiras INTEIRAS 
E incomodam feito pedra no SAPATO...

(CAROL MINEIRINHA)





domingo

A vontade que não cabe...



Essa vontade incontida de viajar...
De mudar, de me deslocar...
Para um lugar onde eu possa te encontrar...
Me encontrar, me amar para te amar...

Essa vontade louca de correr, de viver...
De esquecer o que me faz sofrer...
De aprender que o desafio me faz crescer...
De dizer em alto som que “ser” vale mais que “ter”!

Essa vontade de sentir, de descobrir...
De ir e vir sem cair, sem destruir,
De ouvir você sorrir, e com você construir...
E “decir” da verdade dentro de mim...e a paz difundir.

Essa vontade de me recompor,
Depois de esta canção compor...
E de me dispor a abrir mão do orgulho por amor...
E com as asas da imaginação, as montanhas transpor...

Essa vontade de “hablar”, de “conocer”
E “escribir”, e “vivir”...E “vivir”...E “vivir”...

(CAROL MINEIRINHA)

terça-feira

PORTO SEGURO



PORTO, ABSORTO NO PENSAMENTO, NA EMOÇÃO,
REFLEXOS SOBRE A EXISTÊNCIA, SOBRE A VIDA, 
INDAGAÇÃO SOBRE A CONTRADIÇÃO DE UMA NAÇÃO...
TÃO PERDIDA, PARA TANTOS SÓ PÁTRIA QUERIDA...

EM LUGAR SEGURO, SUAS DÚVIDAS,
BUSCA E ANSEIA ANCORAR,
PORTO QUE SEJA TRANQUILO,
NÃO REVOLTO COMO O MAR...

COMO ONDAS, AS IDEIAS SE AGITAM...
ALGUNS A CONSIDERAM ABSURDAMENTE MALUCAS!
NO MUNDO ONDE TANTOS GRITAM...
EM VOZ SUAVE, DEUS DIZ: CONFIA EM MIM LUCAS!

HÁ PORTO SEGURO, LHE ASSEGURO!!!SERENO, PLENO...
RECONHEÇO: PAGOU O PREÇO QUE NÃO MEREÇO!

É A BRISA, CALMARIA, RAZÃO DA NOSSA ALEGRIA,
PRINCÍPIO E FIM, LUZ E VIDA, VERBO ENCARNADO!
JESUS, FILHO DE DEUS, GERADO EM MARIA,
QUE ACALMA, AMA E LIBERTA DO PECADO!

(CAROL MINEIRINHA- poema que escrevi para Lucas Porto, um blogueiro inconformado)



E todas as noites me pego vendo as suas fotos,
Me apego olhando o seu olhar, o seu sorriso, 
Estou acordada, mas sei que você é um sonho,
A aproximação entre o real e o que idealizo...

E a amizade, esse sentimento bom,
É tão forte, tão puro, tão seguro
Como é um grande amor...
E não importa o que vier
Irei aonde estiver, onde você for...


(CAROL MINEIRINHA)